Tantas Faces

quinta-feira, 8 de março de 2012

Meu leãozinho


















Onde o oceano contém a rocha mais profunda
Onde guarda a pedra mais encantada
Onde o sol organiza seus corais marinhos,
No inacessível vai nascer meu leãozinho
Um mamífero que sugará meu coração na fronte
                                           [sem estancar
Esta fronte frutífera de estrela e de mar
Com as pontas dos dedos eu vou moldar
as sobrancelhas em saltos de golfinhos
Que vão modelar o mel ao nadar tua risonha face.
Os corais que habitam o inabitado,
[porque é para o mistério o seu paraíso!
Tramarão a trama teia delicada dos teus cabelos
pelo começo, a primavera fábula.
Andará a onda pulsante, acariciar teu pulso no meio
teu primeiro batimento... cardíaco, idílico.
Depois a espuma branca desenhará em minha areia
Na concha, a tua pele, em onda calma.
-pele a pele-
Que vai nascer com um turquesa um celeste
e com celestial velocidade de trem
uma luz de estrela na hora em que a estrela te veste.
Dentes de tubarões famintos se desarmarão...
Amarrarão teus ossos em detalhes distintos.
Corujas despojaram-se de suas penas
vieram doar,
suas plumagens macias pra um voo
                                    [silencioso te ninar.
























"um filhote de leão, raio da manhã..." Caetano

Nenhum comentário:

Postar um comentário